A PERCEPÇÃO E O CORPO: UM BREVE RESUMO PARA OS ALUNOS

Trabalho escrito e autorizado para publicação pela Médica Veterinária Sistêmica Janaina Kudlawiec Chulik

Médica Veterinária, aluna do Programa de Formação de Medicina Veterinária Sistêmica no Brasil e no Exterior – Turma I /2019 – SP

Contato: jana.chulik@gmail.com

Formada em Medicina Veterinária pela PUC-PR/2011

 

DEFINIÇÃO DE PERCEPÇÃO

Dicionário:

Ação ou efeito de perceber, de compreender o sentido de algo por meio das sensações ou da inteligência: percepção do sofrimento, do clima.

Etimologia (origem da palavra percepção). Do latim perceptio.onis, “compreensão”.

Juízo consciencioso acerca de algo ou alguém: é necessário entender a percepção do certo e do errado.

A ciência considera a percepção, como algo distinto da sensação, embora a relacione por meio da causalidade estímulo-resposta, sendo assim a percepção o ato pelo qual a consciência apreende um dado objeto, utilizando as sensações como instrumento.

Do ponto de vista tradicional, tanto a filosofia antiga, como a filosofia moderna, no sentido mais clássico, consideravam a percepção como um auxiliar muito precário do conhecimento, ou até mesmo alguma coisa que só vinha atrapalhar o processo cognitivo.

Porém, esta situação veio a ser revista a partir do século 20, principalmente através do autor Merleau-Ponty, que escreveu o livro Fenomenologia da Percepção, em 1945.

Merleau-Ponty, possuindo uma concepção fenomenológica da percepção, tendo como inspiração principal Edmund Husserl (um dos precursores da Ciência Fenomenológica) e seus estudos sobre os fenômenos, diz que, o pensamento e a percepção são incorporados. Não existia somente a experiência mental, mas, também a experiência corporal.

 

 Mente e corpo não são entes separados, mente e corpo são partes de um único sistema.

Merleau-Ponty,  mostra que, a percepção não pode ser reduzida a um conjunto de impressões como faz o empirismo, e, nem a um julgamento que anima os sentidos, como faz o intelectualismo.

 

As sensações são uma reconstrução da reflexão que pensa.

 As sensações estão sempre ligadas a percepção.

 Percepção é vivência.

 É a relação entre o sujeito com o mundo ou a natureza, uma maneira de o homem ser no mundo anterior a qualquer teoria.

 Toda percepção é uma forma de estabelecer sentido.

 

Merleau-Ponty diz:

 

“O meu corpo é o meu ponto de vista sobre o mundo. E a percepção é a introdução do corpo no mundo”.

 

As sensações iniciam o processo de captação da realidade. Primeiro, capta os estímulos, depois você começa a categorizá-los, distinguí-los de outros estímulos, começa a percebê-los de fato.

Seu estudo o levou a explorar o conceito de membro fantasma, onde o indivíduo sente o membro amputado, sendo o corpo não uma máquina, pois se fosse não sentiria esta parte ausente.

Nosso órgão sensorial de captação magnética é a glândula pineal. A regulação da captação magnética encontra na pineal o seu órgão sensorial. Ela transforma o estímulo em neuroquímica.

Por magnetismo vem a informação e neuroquimicamente você expressa isso no corpo, através de uma emoção de dor, calafrio, arrepio, etc.

Bert Helinger diz que a compreensão só pode ser obtida com a observação e a percepção.

Por que então a percepção é importante para o médico veterinário sistêmico?

Visão sistêmica tem foco na percepção, do que a família não está vendo e na comunicação intuitiva.

Percepção é estar presente. Quando não estamos presentes, não nos damos conta, passam muitas coisas do ambiente, do lugar onde estamos, da nossa postura.

Como está o seu corpo agora?

 Você consegue percebê-lo?

Pare e respire por alguns instantes, sinta no corpo a informação vindo.

 Nós carregamos a informação no corpo.

A falta de percepção corporal, nos limita a receber informações do meio externo.

A autopercepção, é tão importante, quanto a percepção do outro.

É na autopercepção, que vamos analisar a coerência cardíaca do que estamos fazendo. Se os nossos atos estão condizentes com os nossos sentimentos, se não estamos levando as coisas no automático e anulando o que sentimos. Seremos cobrados mais tarde, esse desequilíbrio vai adoecer o nosso campo.

Depois de se auto perceber, a percepção é importante no olhar para o outro.

Você está percebendo na postura do tutor a necessidade dele? O que ele está querendo dizer com a linguagem corporal? O que o tom de voz dele diz? Que informações você está recebendo magneticamente do campo dele?

Você consegue perceber o animal não humano a sua frente no sistema dele?

Ele está sendo visto?

O que ele está querendo comunicar?

É através do nosso corpo, e isso se expande para os animais, que nós nos relacionamos com a vida, com as pessoas, com os seres vivos.

Se eu me relaciono com um animal, ele vai me trazer informações, mas, também vai receber informações no corpo dele. E, através dessas informações invisíveis, mas que são percebidas no corpo, que nós conseguimos analisar e detectar os pontos ocultos das relações dos indivíduos de um sistema.

A percepção está intimamente ligada ao nosso corpo.

 

Reflexão final:

Paremos para prestar atenção ao nosso corpo e validarmos a nossa percepção.

BIBLIOGRAFIA:

DICIO. Dicionário Online de Português. Disponível em: https://www.dicio.com.br/percepcao/. Acesso em: 23 fev. 2020.

FERRAZ, Marcus Sacrini Ayres. O transcendental e o existente em Merleau-Ponty. Associação Editorial Humanitas – FAPESP, 2006.

HELLINGER, Bert. O Amor do Espírito. Editora Atman, 2009.

IPPB – Instituto de Pesquisas Projeciológicas e Bioenergéticos. Pineal: a união do corpo e da alma. Disponível em: https://www.ippb.org.br/textos/especiais/mythos-editora/pineal-a-uniao-do-corpo-e-da-alma. Acesso em: 23 fev. 2020.

MARQUES, Paulo Pimenta. Fenomenologia e fenômeno em Maurice Merleau-Ponty. Sapere Aude – Belo Horizonte, v. 6 – n. 12, p. 832-840, Jul./Dez. 2015, 832-840

MERLEAU-PONTY, Maurice. Fenomenologia da Percepção. 2a. Edição. Editora Martins Fontes, 1999.

NóBREGA, Terezinha Petrucia da. Corpo, percepção e conhecimento em Merleau-Ponty. Estudos de Psicologia 2008, 13(2), 141-148

OLIVEIRA, Andréa O.; MOURAO-JúNIOR, Carlos Alberto. Estudo teórico sobre percepção na filosofia e nas neurociências. Neuropsicologia Latinoamericana vol.5 no.2 Calle  2013

SILVA, Denis de Oliveira. Merleau-Ponty e o ensino das ciências no mundo vivido. Anais do Seminário dos Estudantes de Pós-Graduação em Filosofia da UFSCar 2015 / 11ª edição, 80-91