COMUNICAÇÃO INTUITIVA COM ANIMAIS – RELATO DE CASO

COMUNICAÇÃO INTUITIVA COM ANIMAIS – RELATO DE CASO

INTUITIVE COMMUNICATION WHIT ANIMALS – CASE REPORT

*Trabalho publicado no Tratado de Medicina Veterinária Sistêmica e autorizado pela autora para publicação no Portal Soul Vet

 

Márcia de Cássia de Paula Almeida

 

Médica Veterinária Sistêmica e Holística

Formada pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Reikiana, ThetaHealer, Comunicadora Intuitiva com animais, Aromaterapeuta, Terapeuta de Florais de Bach com Visão Sistêmica

Formada em Constelação Sistêmica pelo Curso de Formação em Medicina Veterinária Sistêmica Turma I 2019/2020 SP

Barbacena-MG

Email: namastepet@outlook.com

 

RESUMO

Após sofrer um acidente a cavalo, eu, Márcia Almeida, a autora deste relato de caso, pensei que nunca mais voltaria à montar.

Mas quando eu descobri a Comunicação Animal entre consciências eu entendi que poderia me comunicar com os cavalos e pedir a ajuda deles na liberação do meu trauma. E a Essência, uma égua Mangalarga Marchador, me ajudou nesse processo de cura.

Palavras-chave: comunicação intuitiva com animais, comunicação entre espécies, telepatia.

 

SUMMARY

After suffering an accident on horseback, I, Márcia Almeida, the author of this case report, thought I would never ride again.

But when I discovered Intuitive Communication with animals I understood that I could communicate with horses and ask for their help to release my trauma. And Essência, a Mangalarga Marchador, helped me in this healing process.

Keywords: intuitive communication with animals, communication between species, telepath.

 

 

 

INTRODUÇÃO

 

A Comunicação Intuitiva ou Telepática, é algo que existe há anos e que praticamos sem nos dar conta, mas que, foi se perdendo com a correria e as modernidades do mundo atual.

 

Esse tipo de Comunicação, é realizada através da Telepatia ou de técnicas meditativas específicas para a intenção. Não é algo extraordinário ou relacionado à religião, muito pelo contrário, todos nós podemos nos comunicar intuitivamente, seja com animais humanos ou não humanos. Para utilizar a comunicação basta treino, estudo e o mais importante, aprender a sentir e validar a nossa intuição.

 

A Telepatia está comprovada na parapsicologia e é definida como uma habilidade extra-sensorial, destinada obter informações a respeito de pensamentos, sentimentos ou comportamentos de outro ser sem o uso de linguagem verbal ou escrita, por exemplo, se detendo apenas à transmissão de pensamentos entre os indivíduos.

 

O experimento de Grinberg-Zylberbaum, 2 sujeitos meditam juntos durante 20 minutos com a finalidade de estabelecer uma comunicação. Em seguida, são separados em 2 gaiolas de Faraday (câmaras isoladas eletromagneticamente), onde cada um está conectado a uma máquina de EEG individual, e um deles é exposto a uma série de flashes de luz.

 

Neste experimento, comprova-se através de leituras do registro do EEG do outro indivíduo que o potencial evocado produzido pelos flashes de luz foi transferido para o cérebro do segundo indivíduo sem nenhuma conexão local, sendo assim, mais uma comprovação do estabelecimento de comunicação telepática entre consciências (GOSWAMI, Amit. O Médico Quântico,2006, p. 80).

 

A Comunicação Animal entre consciências tem se fortalecido a cada dia, e nomes importantes como do Biólogo Inglês Rupert Sheldrake, autor do livro, “Cães sabem quando seus donos estão chegando“, validam de forma consistente essa forma de Comunicação.

 

Quantos de nós já pensamos em determinada pessoa e logo em seguida, ela nos telefonou?

Isto, é telepatia.

Quantas pessoas dizem entender o que o outro quer dizer apenas se comunicando através do olhar?

 

Percebem como já nos comunicamos telepaticamente de forma inconsciente?

 

“Veja o que diz J. Allen Boone no livro Kinship with all life a respeito da sua comunicação com o Pastor Alemão Strongheart (o primeiro cão a atuar em filmes nos Estados Unidos):

 

“Quando eu mantinha o meu lado da ponte elevado, aberto e horizontal para enviar e receber mensagens, o tráfego de pensamentos acontecia de forma natural e benéfica para nós. Ele raramente parecia ter dificuldade em compreender os pensamentos que eu enviava para ele, fossem notícias, sugestões, opiniões, perguntas ou manifestações de apreciação”.

 

E quanto mais eu me aplicava nisso, mais fácil ficava entender o que ele estava silenciosamente comunicando. (WALIGORA, Sheila. Comunicação entre espécies. Disponível em < http://entreespecies.com.br/>Acesso em 28dez. 2019).

 

 

RELATO DO CASO

 

Há alguns anos, eu, Márcia Almeida, sofri um acidente à cavalo.

Na época, eu não tinha medo algum do contato com cavalos, pois, desde pequena eu estava acostumada a montar e a lidar com a espécie.

 

Em um certo dia eu fui convidada para participar de uma cavalgada. Eu não estava me sentindo muito à vontade com a idéia deste passeio, mas fui mesmo assim.

 

Chegando no Haras que eu costumava frequentar, fui informada de que não montaria o animal de costume e essa informação me deixou ainda mais desconfortável.

 

Me trouxeram uma égua desconhecida e quando nós nos olhamos e nos sentimos, eu já sabia que não deveria montá-la, mas pressionada pelos os que me aguardavam e contrariando a minha intuição, eu montei.

 

Seguimos em direção ao redondel para que pudéssemos nos aproximar (eu e a égua) e bastaram alguns segundos para que ela começasse a correr em disparada e empinar.

 

Eu achei que o pior aconteceria. Mas, rapidamente, me lembrei dos ensinamentos de montaria e a prática dos anos montando esses animais, me permitiram contornar a situação. Mas, à partir daí, eu nunca mais fui a mesma em relação aos cavalos.

 

Na tentativa de esquecer esse episódio eu montei outros animais, mas a cada experiência, eu ficava ainda mais distante deles e cada vez mais amedrontada.

 

Foram tempos difíceis e eu só vislumbrei uma chance de cura ao conhecer a Comunicação Intuitiva com os animais.

 

Depois de fazer um curso sobre Comunicação Animal entre consciências eu entendi que poderia falar diretamente com os cavalos e pedir a ajuda deles, e foi o que fiz.

 

E, a Essência (uma égua Mangalarga Marchador), já minha conhecida de anos, foi quem me ajudou. No começo, até a Essência me causava pânico, mas eu resolvi me comunicar com ela, e pedir autorização para montá-la. Nesse momento, ela me disse muito mais que um sim …

 

Disse que conhecia o meu medo, que podia senti-lo, mas que me ajudaria no processo de cura.

 

A comunicação com os animais, são diretas: “os animais são objetivos, não são vagos nem usam estratégias ‘’ (GUERREIRO, Marta Sofia, 2014, p. 69).

 

Com isso, minha comunicação com a Essência foi:

– “Monta aí garota, vamos nos divertir e aproveitar a vida”.

 

Nesse momento ela me mostrou a imagem de nós duas correndo pelo campo e muito felizes (alguns animais se comunicam através do envio e troca de imagens com o Comunicador).

 

‘’ A comunicação manifesta-se sob a forma de sentimentos ou imagens intuitivas, e, pode evoluir com o tempo e prática, para uma “conversação” a nível mental. (GUERREIRO, Marta Sofia, 2014, p. 62/63).

 

Ainda assim eu sentia medo e ela (Essência), me disse:

 “- Eu não vou te fazer mal …eu amo você!

E o amor realmente cura. Eu fui tomada por uma coragem imensa e resolvi montar.

“Os animais nos ajudam no processo de cura emocional, energético e consequentemente físico‘’.

(GUERREIRO, Marta Sofia, 2014, p. 79).

 

Montei tremendo, mas montei! E ela ficou ali quietinha aguardando o meu tempo para seguirmos em frente. Ela é uma égua mansa, mas agitada e cheia de energia. Quando ficou ali parada esperando o meu comando e fazia os movimentos de maneira suave e devagar, eu entendi a força da nossa comunicação.

 

Durante o passeio nós quase caímos, mas éramos um só corpo e coração naquele momento e eu disse bem alto:

“- Eu confio em você, garota!”

 

Ela se reequilibrou e seguimos o nosso passeio.

Depois desse dia nós duas sempre nos comunicávamos. Eu explicava sobre tudo o que iríamos fazer com ela, como tosar a crina, dar banho ou passear.  Um dia ela me encorajou a montar uma outra égua, a Lua. Eu montei e foi libertador!!

 

A Lua também é uma égua muito querida e me ajudou muito nesse processo de cura.

 

Graças à Comunicação Animal entre consciências, e à Essência e Lua, eu me curei! Sou livre e posso desfrutar da companhia desses animais.

 

Os animais não-humanos estão ao nosso lado para nos auxiliar em nossos processos de cura.

 

Através da Comunicação Intuitiva podemos acessar diretamente a energia dos animais não-humanos, e obter informações presentes no seu inconsciente, o que otimiza a relação entre as espécies, e, possibilita que ambos sejam beneficiados ao obtermos informações mais assertivas para as questões que precisam ser sanadas no momento.

 

O uso da Comunicação Intuitiva entre Espécies, é, também, de grande valia durantes as Constelações Sistêmicas Veterinárias, aonde os animais estão de fato presentes, facilitando assim, que o Constelador Veterinário, possa acessar ainda mais informações, além de suas percepções e sensações no campo.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

GUERREIRO, Marta Sofia. Conversa com animais: São Paulo, ed. Lua de Papel, 2014, p.62,63, 69,79.

Waligora, Sheila. Eu falo, Tu falas…Eles falam: São Paulo ,4°edição, ed. Grafilar ,2013.

WALIGORA, Sheila. Comunicação entre espécies. Disponível em < http://entreespecies.com.br/>Acesso em 28dez. 2019

GOSWAMI, Amit. O Médico Quântico: São Paulo,1° edição, ed. Cultrix, 2006.