A NOVA ONDAS DAS EMPRESAS DE ALIMENTAÇÃO NATURAL

Segundo o IBGE, o Brasil tem hoje, aproximadamente 14 milhões de desempregados. Contudo, alguns analistas afirmam que este número na realidade é bem maior, considerando-se os critérios para a análise.

O que isso tem a ver com nosso tema? Tudo! A necessidade do sustento das famílias, aliado a um nicho de mercado que é crescente, como o mercado PET, em especial o da alimentação natural, está levando um grande número de pessoas a “produzir” comida prá cachorro.

Afinal, basta fazer um curso online ou mesmo buscar umas receitas na internet e, o milagre acontece. De uma hora para outra, a pessoa se torna uma empreendedora do ramo de alimentação para pet’s!

Assim, temos visto pessoas produzindo petiscos saudáveis e naturais, marmitinhas e até festas de aniversários para cães como as mais variadas guloseimas. Claro, que todas muito “saudáveis”!

Nesse rol, temos pessoas comuns que amam pet’s e se identificam com a atividade, outras que realmente estão precisando trabalhar e veem nisso a saída para empreender e até veterinários/zootecnistas que também apostam no segmento.

Até aqui estaria tudo muito legal e até romântico se não fosse a INFORMALIDADE!

O que sempre escuto como “justificativas” dessas pessoas de estarem trabalhando na informalidade é “Estou fazendo assim mesmo, sem registro, para sentir o mercado e ver se vale à pena investir!”

Na verdade, o caminho certo não é este. Devemos começar por uma pesquisa de mercado e a elaboração de um Plano de Negócios, bem feito e estruturado. O Sebrae pode ajudar muito! Assim, o futuro empreendedor vai ter informações e números para tomar a decisão de ir adiante ou não.

Trabalhar na informalidade, especificamente na área de alimentação natural para pet’s, coloca em risco toda uma cadeia produtiva, podendo levar ao descrédito, um trabalho que vem sendo realizado com tanto suor por pessoas que querem dar mais qualidade de vida aos nossos animais.

Uma dieta desequilibrada ou que não respeita os devidos processos higiênico-sanitários pode levar a danos irreparáveis na saúde dos nossos animais. Além da concorrência desleal no mercado, causando prejuízos para quem trabalha de forma regular, paga seus impostos, contrata profissionais especializados para formular as dietas e investiram para ter seu negócio dentro das normas vigentes.

Cabe ressaltar que esse setor é regulamentado e normatizado pelo MINISTÉRIO DA AGRICULTURA E PECUÁRIA (MAPA). É ele quem registra a empresa e os produtos destinados a alimentação animal, desde um simples petisco à mais elaborada das rações.

Toda e qualquer empresa que vá produzir alimento para animais, DEVE estar OBRIGATORIAMENTE registrada no MAPA, sob pena de pagar pesadas multas, ainda que sendo um profissional da área, médico veterinário ou zootecnista, também responderá por processo ético.

O MAPA mantém um telefone da ouvidoria, onde recebe denúncias sobre empresas ilegais e assim, formalizam o processo de investigação que culminará com as devidas sanções.

Portanto, é de suma importância, que as pessoas interessadas em ingressar nesse segmento, procurem orientação no MAPA e façam a coisa de maneira correta. Assim, o mercado vai crescer de forma profissional, ética, trazendo benefícios para todos. Nossos pet’s agradecem!

 

Dr. Klébler Felizola
Médico Veterinário e Diretor da Empresa Pet’s Kitchens
Brasília – Distrito Federal