Integrativa ou Holística? Qual nome devo usar?

Muitos estudantes, tutores e até mesmo profissionais da área de saúde, as vezes se confundem com os conceitos de “medicina integrativa” ou “medicina holística”.  Este textão é para tentar ajudá-los a compreender melhor cada um deles, para que vocês possam se sentir mais confortáveis conceitualmente.

Tudo começou com o Aristóteles (322. a.C) que percebeu que o todo é mais coerente e forte do que a soma de suas partes fragmentadas. Através desta percepção, Jan Christiaan Smut, em 1926 desenvolveu o conceito de HOLISMO. Esse conceito de totalidade não é exclusivo da área de saúde, mas sim uma visão coadunada por diversas áreas, como: biologia, ecologia, economia, educação, outras, e também a medicina.

Desta forma, holismo/holístico não é uma definição e sim um conceito de totalidade. Uma visão do todo. Portanto, nada tem haver com não-científico, com esotérico ou místico.

Quando usamos o conceito de HOLÍSTICO na medicina, é porque há uma visão integrada do todo, ou seja, do paciente (corpo, mente, espírito), do meio aonde esta inserido, de suas linhas de tempo (passado, presente e futuro), de suas experiências, de sua genética/epigenética, e de diversos fatores passíveis ou não de serem mensurados. É perceber tudo sob o ponto de vista da TOTALIDADE NÃO-DISSOCIADA.

Por esse motivo o Portal Soul Vet optou pelo nome holística. Mas, de forma alguma, que não tenhamos o aspecto científico inserido. O Soul Vet tem uma visão da totalidade não-fragmentada (embora esteja, e por isso, os adoecimentos acontecem), sem segregações culturais, científicas, fronteiriças. Entendemos ainda, que existe um lado da fronteira não reconhecido pela ciência. Que na verdade, é seu próprio lado obscuro (que ainda não foi pesquisado). Assim, o holístico neste sentido, visa a integração do lado luz (que a ciência conhece) com seu lado sombra (que a ciência desconhece, estabelecendo assim, uma fronteira imaginária). Mas, na verdade, tudo é  uma coisa só, pois a ciência, sem querer admitir, caminha em direção a sua própria sombra desconhecida, que é o que faz ela prosseguir.

O Soul Vet percebe a sombra e a luz integradas e percebíveis apenas por contrastes, então, não temos uma visão reducionista. Isso é bom que fique bem claro.

Dentro desta visão macro, existe um conceito micro de INTEGRAÇÃO. Que, apesar de contraditória, dependendo da linha de abordagem, significa que podemos INTEGRAR outras linhas terapêuticas a medicina convencional (alopática).

O conceito de medicina integrativa, é uma definição bem mais recente, que vem para definir uma abordagem onde podemos associar diversas linhas terapêuticas, antes conhecidas como complementares ou alternativas (termo já em desuso), como possibilidade de cura e tratamento, associadas aos tratamentos ditos convencionais, visando o benefício do paciente, que pode ser visto holisticamente pela medicina integrativa, ou não. Ou seja, mesmo os médicos integrativos (que associam outras terapêuticas à medicina convencional), podem ter uma visão reducionista e fragmentada, portanto, não-holística.

Assim, holismo é uma visão macroscópica, e integrativa é apenas um modelo de saúde integrada (ÚNICA) que associa diversas formas de tratamento a base mais fortemente aceita que é a medicina convencional ou alopática, podendo a Medicina Integrativa, ter ou não uma visão holística (é bom repetir isso novamente).

Medicina Integrativa deve ser empregado então, quando associamos outras formas de terapias (que não a alopática) associadas em prol da saúde e recuperação do paciente, sendo um modelo de saúde, que teve seu início por volta de 1960.

Segundo os estudos de Otani & de Barros (2008) numa belíssima revisão conceitual do que seria Medicina Integrativa, no artigo: The Integrative Medicine and Construction of a New Health Model, o consenso mundial da definição de medicina integrativa é apenas e na maioria dos casos, um reconhecimento agregador das terapias complementares à medicina convencional/alopática. Essa é a perspectiva da maioria dos pesquisadores, como foi demostrado no trabalho.

Então se o médico/terapeuta vai ter uma visão holística em suas práticas integrativas, aí são outros “quinhentos”, e como falei anteriormente, ele pode ou não ter uma visão holística dentro da medicina integrativa. Alguns terão, outros não.

Agora, você, sozinho, e sem medos, sem querer se dogmatizar, poderá compreender se você é um médico integrativo e holístico, ou só um médico integrativo reducionista. Cada um vê aonde esta.

Na minha visão de médica veterinária integrativa holística, está tudo certo, sem preconceitos e sem queremos definir tanto as coisas. Aceito a luz da ciência, e a beleza da sombra ainda não desvendada. Sugiro-vos apenas sentir…

Um abraço integrativo e holístico
Dra Carla Soares – Diretora do Portal Soul Vet

Uma resposta para “Integrativa ou Holística? Qual nome devo usar?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *