Amazônia, UFRR, Soul Vet & Sérgio Lobato

Dia 31 de Agosto de 2017, a Universidade Federal de Roraima (UFRR) recebeu o portal Soul Vet para que ele pudesse ser apresentado para os estudantes e profissionais de medicina veterinária e zootecnia da universidade e convidados.

Tudo transcorre de forma mágica quando nos colocamos a favor da vida. Vou falar de novo e de outra forma: quando nos colocamos no caminho (fluxo) natural das coisas, sem forçar, tudo é riquíssimo de detalhes e milagres, e não importa o fim, apenas o meio.

Esta história de hoje tem a finalidade de mostrar o quanto devemos estar atentos as informações mais simbólicas que chegam até nós. Como elas chegam até nós, não deve ser nossa preocupação, mas o que fazemos com elas, é sim, de nossa responsabilidade.

No dia da apresentação, o portal teve um super imprevisto em sua data de lançamento, e acabei tendo que ir ao compromisso marcado com ele ainda offline.

E, claro, que isso me deu um “puta” desânimo de palestrar sobre algo ainda etéreo. Sabe, é como explicar visões de espíritos a um ateu. Me senti bem desconfortável assim.

Mas, meu contato prévio com os estudantes maravilhosos que conheci de veterinária e zootecnia da UFRR durante nosso curso de alimentação natural nos 2 dias anteriores, me deu um aconchego gostoso, porque senti amor e respeito por todos. Assim, consegui relaxar um pouco e deixar minha fala e coração fluir, sentindo durante minha palestra, a presença amorosa do Miguel (meu mentor) e dos mestres orientais que de tempos em tempos, quando me encontram com um campo propício, conseguem então se aproximar.

Quando percebo a aproximação deles, minha fala não é interrompida, mas sinto um aumento nítido na minha alegria e na intenção das palavras que profiro, e claro, vários calafrios.

Um fenômeno notável que aprendi a lidar em público, é que sempre que eles se aproximam, em 99,9% das vezes eu tenho um choro sem ter o controle das lágrimas e sem um motivo específico. É um choro neutro.

E em geral, nas minhas palestras e aulas isso sempre acontece. Antes eu morria de vergonha e muito antes ainda, não sabia porque isso acontecia.

Mas, depois de alguns anos junto deles, já não sinto aquele constrangimento que antes era oculto (sem conhecimento de causa) e hoje já aprendi a identificar o que representa. Assim, fico relaxada, em geral sorrio, peço desculpas ao público, explico e prossigo (risos).

Bom, ao terminar minha apresentação do Soul Vet, sentei-me confortavelmente no auditório, e fiquei atenta ao próximo palestrante, Sérgio Lobato. Bom, eu até então não o conhecia (acho que só eu não o conhecia, risos), e logo senti uma energia diferente (não do senso comum), mas, nosense como todos deveriam ser, porque isso representa algo que falta no meio médico/social, que se chama naturalidade, coerência, espontaneidade, gargalhadas (risos…) e SOUL.

Além da parte mais nosense do Sérgio Lobato, ele é divertido e inteligentíssimo, para não dizer, genial. Médico veterinário visionário, autêntico (risos), pós-graduado e especializado em gestão, marketing, consultorias e setores inovadores da Medicina Veterinária no Brasil e no exterior.

Atenta a sua a palestra, e sorrindo com suas palavras e histórias, comecei a receber diversos insights de quanto o Soul Vet está no caminho certo. Tive a certeza quando o Sérgio Lobato falou que a maior tendência dos próximos anos na medicina veterinária é o uso da tecnologia de informações favorecendo as RELAÇOES INTERPESSOAIS. Uau…O SOUL VET… Just it!

Quando o Sérgio Lobato apresentou que a tecnologia seria o fio guiador no mundo na medicina veterinária, não tive mais dúvidas que o Soul Vet estava nascendo no tempo e hora certo. Sem atrasos e sem antecipações.

Agora, explicar-lhe-ei (risos), porque falo tudo isso. Para os que não sabem, o Soul Vet foi uma canalização que contarei em outras histórias.

Ao ouvir o Sérgio Lobato, e perceber toda a construção do Soul Vet, entendi a força dos campos mórficos e das orientações que recebo com meus amigos espirituais (são dois fenômenos distintos, porém no meu caso, complementares). Digo isso, porque, há 1 ano atrás do nascimento do soul vet, eu estava muito bem, obrigada (de nada), na solitude do outside de diversas praias do nordeste do Brasil, surfando, morando em ruas de terra, de chinelinhos havaiana e sem ter nenhum contato com grandes cidades, meeting, congressos, mídias e etc.

Não sou ligada em tecnologia de informação, e sou meio “tapada” para mexer com certos aplicativos, programas e etc. E, sou meio bicho-do-mato/mar. Ou seja, tenho um pouco de dificuldade de me relacionar com muitas pessoas. Aí vem as perguntas, para vocês entenderem o que é entrar num “campo de informações/mórfico, mesmo estando isolada”:

Como eu, que estava isolada, pude “perceber” a urgência e necessidade de um projeto como esse (campos mórficos)? Desta magnitude e aplicabilidade que é o Soul Vet (campos mórficos)? Como pude pensar em mexer justamente com as 2 coisas que mais me apavoram: tecnologia e pessoas? (ordem de mentor, risos….), para quem estuda campos mórficos, sabe o que vou dizer agora: me senti o centésimo macaco da ilha (risos…)

Pois é. Quando você é o escolhido, não existe rota de fuga. A gente recebe com gratidão e faz o que tem que ser feito. E essa aula do Sérgio Lobato, só reforçou para mim o que são “campos mórficos”, o que são canalizações, e o que é se abrir para os milagres, além disso, este momento, me presenteou uma puta amizade nosense com esse ser humano com dores e sorrisos que é o Sérgio.

Um dia desses eu disse para o Sergio, que ele tem Buda dentro dele, e ele me mandou a merda, porque disse que o Buda era gordo (risos). Eu, disse que o buda era magro e lindo (mandei a foto do Keanu Reves, mais risos). Engraçado nossa comunicação, mas, brincadeiras à parte, continuo a dizer que ele tem de verdade e já aflorado um Buda dentro dele. Buda é o desperto, é o acordado, é o aberto, é o expandido, é o que está vendo um pouco além da massa crítica. E, o Sérgio tem um tantinho de tudo isso.

Para finalizar essa linda e especial noite, ao meu lado estava sentada Gabriela Urbina (para mim Gabi), estudante de medicina veterinária e reikiana, e que tenho profunda afinidade energética.

Como se ela lesse meus pensamentos, ela olhou para mim, numa profunda compreensão de sincronicidades, e disse resumidamente toda essa história: “Dra. Carla, o Soul Vet está no caminho certo…”

Eu sorri para ela, e ficamos ali em silêncio entendendo todos os significados daquele momento.

Aprendi que você pode estar em qualquer lugar remoto do mundo, sempre vão existir formas de comunicação e sinais do universo, especialmente direcionados para você.

É só estar aberto para receber e prestar atenção. Gratidão a minha amiga veterinária Dra. Leticia Pezenti, que foi o canal para esses encontros especiais.

Gratidão também a Prof. Ana Nóbrega (UFRR), que aqui, representando todos os professores e alunos da Universidade Federal de Roraima, sinto-me agraciada e fortalecida pelos olhares de cuidado, amor e respeito. Ahhhh e claro, ao Sérgio Lobato, que avaliou tecnicamente o Soul Vet, e deu um liked/loved de “alma” (risos) a este projeto…

                                                                  Com carinho
Carla Soares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.